Após o nascimento e ao longo do seu desenvolvimento, o bebê precisa de muito carinho e atenção. Nessa fase inicial da vida, é de extrema importância tomar algumas precauções quanto a saúde do bebê. Pois assim, a criança é bem mais sensível e muito influenciada pelo ambiente e pelas pessoas de seu convívio.

A importância da amamentação

Sabemos que amamentar é a melhor atitude que uma mãe tem com o seu bebê. Pois a amamentação garante os nutrientes necessários a criança, além de proteger as mamães contra o câncer de mama e de útero.

O leite materno é insubstituível, pois sua composição oferece tudo o que a criança precisa para se desenvolver. Porém, muitas vezes, há impossibilidade do bebê receber o leite materno. Devido a isso, o mais indicado é que haja substituição do leite materno por fórmulas lácteas e não pelo leite de vaca, que pode prejudicar o desenvolvimento infantil.

Portanto, com o intuito de se assemelhar ao leite materno, foram criadas fórmulas infantis. Essas fórmulas são produzidas a partir do leite de vaca, porém, tem redução na quantidade de proteínas. Assim, elas não irão sobrecarregar os rins do bebê e nem aumentar a excreção de cálcio pela urina, causando cólicas.

As fórmulas

As fórmulas são diferentes entre si para atender as exigências nutricionais de cada fase do desenvolvimento de um bebê ou necessidades especiais. Por isso, seu uso deve ser sempre recomendado por um pediatra ou nutricionista.

Para bebês prematuros:

Essa fórmula possui uma composição diferenciada para oferecer os nutrientes que um bebê prematuro precisa, além de ser modificado para auxiliar na digestão. Geralmente, essa fórmula possui mais proteínas, gorduras e misturas bem balanceadas, além da adição de ácidos graxos. É importante lembrar que essa fórmula é essencial para o desenvolvimento cerebral, visual e psicomotor.

Fase 1:

Essa fórmula atende a necessidade nutricional de crianças saudáveis até seis meses de idade. A lactose é o principal carboidrato dessa fórmula, e são acrescidas de amido, sacarose e maltodextrina. O teor protéico dessa fórmula é maior do que o do leite materno, assim, as gorduras podem ser acrescidas de óleos vegetais, com a finalidade de melhorarem a digestibilidade. Além disso, essa fórmula tem um teor maior de micronutrientes com relação ao leite materno. Ela é fortificada com ferro e aminoácidos.

Fase 2:

Essa fórmula é usada para o segundo semestre de vida da criança. Ela tem como diferencial um maior teor de ferro, já que a quantidade de proteínas é semelhante aos leites do primeiro semestre.

Fase 3:

Essa fórmula atende as necessidades nutricionais dos bebês a partir dos 10 meses. Ela contém em sua composição prebióticos que previnem constipação e cólicas, além de reduzir o número de infecções.

Fórmulas sem lactose:

Essa fórmula foi criada para crianças com intolerância a esse tipo de carboidrato. É recomendada para bebês que passaram por alguma patologia que teve como sintoma uma diarreia persistente. Devido a esse problema, a flora intestinal acaba alterando-se, ocorrendo uma diminuição na produção da enzima que digere a lactose, a lactase. Do mesmo modo, esse acontecimento é chamado de intolerância a lactose. Porém, ele é passageiro e o bebê pode, depois, com a recomendação do pediatra, voltar para o leite normal.

AR ou Antirrefluxo:

Essa fórmula apresenta um leite com uma consistência mais engrossada. Devido a isso, ela foi criada exclusivamente para bebês que apresentam regurgitação (refluxo gastroesofáfico). Ela é similar a fórmula da fase 1, porém, além dos carboidratos habituais ela possui amido de arroz ou milho pré gelatinizado. Esses ingredientes se espessam em contato com a secreção gástrica, minimizando o refluxo.

Fórmulas a base de soja (SL) :

Essa fórmula pode ser substituta para crianças com mais de seis meses que apresentam alergias a proteína do leite de vaca, com intolerância a lactose. Essa fórmula também pode ser usada por famílias que optam por uma alimentação vegetariana. Assim, essa fórmula é feita a base de proteína isolada de soja, isentas de lactose e sacarose. Geralmente, elas contém mais vitaminas e minerais, sendo suplementadas com aminoácidos.

HA ou Formas Hipoalergênicas:

Essa fórmula infantil é a base de proteína do soro do leite parcialmente hidrolisada. Assim, ela confere uma característica hipoalergênica ao leite, sendo recomendada para crianças com histórico familiar de alergia ao leite de vaca (APLV).

Fórmulas Diferenciadas:

Existem lançamentos de fórmulas criadas para situações mais específicas do que as anteriores. Porém, apenas um pediatra ou nutricionista podem recomendar o seu uso.

 

O que acontece se os pais errarem ao escolher uma fórmula incorreta para o seu bebê?

O leite de cada fase recebe os tipos e quantidades de nutrientes específicos para aquele momento de desenvolvimento do bebê. Porém, quando ocorre esse erro, provavelmente as necessidades nutricionais da criança são serão atingidas. Assim, isso pode ser prejudicial, já que essa é a única alimentação do bebê até os seis meses. É necessário estar atento ao que cada fórmula oferece.

Por que um bebê alimentado por fórmula precisa necessariamente de água, enquanto um bebê que mama no peito não precisa?

O leite materno é perfeito e o mais recomendado. Ele tem a sua composição mudada durante a mamada. Assim, nos primeiros minutos o leite é rico é mais rico em água, justamente para matar a sede do bebê. Infelizmente, o mesmo não acontece com as fórmulas, e é por isso que crianças alimentadas dessa forma precisam beber água.

Tem perigo engrossar o leite?

O perigo de engrossar o leite, é contribuir para a obesidade futura. Ao engrossarmos a fórmula, modificamos a estrutura da dieta da criança, que acaba consumindo mais carboidrato do que deveria. Assim, acaba acontecendo um desequilíbrio intestinal, dificultando o desenvolvimento alimentar da criança.

Como posso preparar a fórmula para o meu bebê?

  1. Antes de tudo, lave as mãos com sabonete e água. Em seguida, ferva a água potável que usará na mamadeira.
  2. Leia as instruções da embalagem com atenção. Adicionar mais ou menos pó pode prejudicar a criança.
  3. Derrame a quantidade correta de água (que deve estar a 70 ºC) na mamadeira limpa e esterilizada.
  4. Adicione o pó e mexa suavemente. Coloque a mamadeira embaixo da pia ou em uma panelinha com água para esfriar.
  5. Pingue algumas gotas do leite no seu pulso. Ele tem que estar morno. Se necessário, esfrie um pouco mais.
  6. Caso o bebê não zere a mamadeira, jogue fora o conteúdo restante em até 2 horas.

 

Recomendações

É de suma importância seguir as recomendações de como preparar o leite da criança que são colocadas no rótulo do produto. As fórmulas são criadas com as proporções exatas de componentes para as necessidades nutricionais daquela criança da qual foi prescrita.

 

 

 

 

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.