É muito habitual ouvirmos diversas pessoas se queixar de ansiedade. Muitas vezes, essas pessoas são do tipo que conferem repetidas vezes se há mensagens novas no celular, ou mal podem esperar por um compromisso no final de semana.

No entanto, ser ansioso é muito mais do que isso, pois, algumas pessoas vivenciam esta reação de forma mais frequente e intensa, que pode ser considerada patológica e comprometer a saúde emocional. Portanto, ansiedade é um termo geral para vários distúrbios que causam nervosismo, medo, apreensão e preocupação.

 

O que é o Transtorno de Ansiedade?

Os transtornos de ansiedade são um grupo de perturbações mentais caracterizadas por sentimentos de ansiedade e medo. A ansiedade corresponde à preocupação com acontecimentos futuros, enquanto o medo é uma reação aos acontecimentos do presente. Estes sentimentos podem causar sintomas físicos, como ritmo cardíaco acelerado ou tremores.

A ansiedade é uma reação normal do ser humano diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. No entanto, quando esse sentimento persiste por longos períodos de tempo e passa a interferir nas atividades do dia a dia, a ansiedade deixa de ser natural e passa a ser motivo de preocupação. Assim, ela se torna um transtorno. 

Quais são as causas?

Acredita-se que o transtorno de ansiedade esteja diretamente relacionado a alguns neurotransmissores que ocorrem naturalmente no cérebro, a exemplo da serotonina, dopamina e norepinefrina. Outro conjunto de fatores que também podem estar envolvidos nas razões pelas quais um indivíduo possa vir a apresentar a doença são:

  1. Trauma na infância: É comum que crianças que vivenciaram ou presenciaram situações traumáticas desenvolvam algum tipo de transtorno de ansiedade.
  2. Personalidade e genética: Muitas vezes, o Transtorno de Ansiedade Generalizada ou outro tipo de ansiedade já faz parte da personalidade da pessoa. E isso pode, até mesmo, ser genético ou hereditário.
  3. Gênero: Pesquisas mostram que as mulheres representam o dobro do número de casos de transtorno de ansiedade que os homens. Assim, questões hormonais, como a menopausa, e situações que causam estresse estão entre os maiores responsáveis por isso.
  4. Abuso de substâncias: O uso de drogas, álcool e nicotina aumentam a ansiedade e pode agravar casos de quem já possui tendência a desenvolver o transtorno.

Algumas condições físicas também podem ser associadas à ansiedade. Os exemplos incluem:

  • Doença do refluxo gastroesofágico (DRGE)
  • Doenças cardíacas
  • Hipotireoidismo
  • Menopausa

 

Quais são os sintomas?

  • Dificuldades para dormir: A pessoa tem dificuldades de descansar o corpo e a mente. Revira na cama, não consegue se desligar de problemas e, quando finalmente dorme, tem sonos agitados e que são interrompidos diversas vezes.
  • Ter medo de falar em público: Somente ao pensar na necessidade de realizar uma apresentação para uma plateia sinais como sudorese excessiva, mãos geladas, taquicardia, falta de ar e respiração ofegante aparecem.
  • Preocupação Excessiva: A pessoa tende a se preocupar demais com as mínimas coisas do dia a dia. E isso se torna algo recorrente e que persiste por semanas e meses. A situação, além de interferir na rotina, traz um desgaste físico, mental e emocional.
  • Indigestão: Outros sintomas físicos da ansiedade aparecem no trato digestivo. Algumas pessoas sentem dores de estômago, vontade de vomitar, cólicas, inchaço, gases, constipação e diarreia.
  • Conviver com medos irracionais: Medo de não ser bom o suficiente, medo do fracasso, pânico de ficar sozinho ou de não ser aceito, também perseguem pessoas ansiosas. O excesso de medo pode comprometer a segurança nas relações pessoais, seja no trabalho ou na família.
  • Inquietação: Geralmente, a pessoa fica assustada com muita facilidade.
  • Dores musculares: Muitas vezes, o estresse e ansiedade são tão intensos que se estendem para uma tensão muscular. Também é comum o chamado bruxismo, que é aquele ranger forte dos dentes, que causa dores de cabeça e na mandíbula.

Além das preocupações e ansiedades, diversos sintomas físicos também podem se manifestar, incluindo tensão muscular (tremedeira, dores de cabeça) e problemas de estômago, como diarreia e náusea.

Quais são os alimentos que ajudam a combater a ansiedade?

Confira alguns alimentos naturais que merecem entrar na dieta de pessoas que sofrem com transtornos de ansiedade:

Oleaginosas: As castanhas, nozes e amêndoas são fontes ricas em magnésio, mineral que bloqueia o NMDA, receptor que causa ansiedade e estresse.

Quinoa: Esse é um cereal rico em carboidratos complexos, que promovem a saciedade e fornecem energia para o cérebro e o corpo ao longo do dia.

Arroz Integral: O arroz é fonte de aminoácidos essenciais, que reduzem a ansiedade, depressão e estresse. Esse é também um cereal que é fonte de melatonina, o hormônio do sono.

Chocolate: O cacau, principal ingrediente do chocolate amargo, ajuda a reduzir os níveis de cortisol, hormônio que produz o estresse.

Aveia: O alimento estimula a produção de hormônios antidepressivos.

Goji Berry: Essa fruta é rica em antioxidantes e ajuda a reduzir os níveis de cortisol.

 

Como posso fazer para controlar a minha ansiedade?

  • Praticar atividades físicas
  • Praticar meditação
  • Ouvir música
  • Manter uma alimentação saudável

Recomendações médicas

É essencial o acompanhamento de um psicólogo ao serem detectados sintomas de transtornos de ansiedade. Por meio de diferentes formas de terapia, o profissional poderá analisar o caso. Assim, ele irá identificar o fator desencadeador do distúrbio e combater as complicações que a doença pode causar. Em alguns casos, o especialista pode sentir necessidade do acompanhamento de um psiquiatra, que deverá analisar o paciente e receitar medicamentos que ajudem no tratamento.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.