Você sabia que o cenário atual de pandemia e isolamento social pode afetar negativamente a saúde mental?

O Covid-19 veio para confirmar a importância que a saúde mental exerce em nossas vidas. Segundo a ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), houve um aumento de cerca de 48% nos atendimentos durante esse período.

Forçadas a ficarem em seus lares, as pessoas passaram a assistir mais televisão e a usarem mais a internet. Por isso, a quantidade de noticiários referente ao assunto nunca foi tão grande. De acordo com dados do Google, o novo Coronavírus já teve 2.1 bilhões de menções na mídia.

Por isso, mais do que nunca, é um momento crucial para preocupar-se com a própria saúde mental e colocar em prática o autocuidado, ou seja, assumir como hábito um papel ativo na proteção do próprio bem-estar e felicidade. Saber que esse cuidado é importante é apenas o primeiro passo.

Para evitar o pânico generalizado e o medo, a OMS (Organização Mundial da Saúde) soltou um comunicado com dicas para proteger a saúde mental. São medidas de autocuidado importantes para manter a serenidade e deixar a rotina mais leve. Veja só:

Sem preconceito!

Sabe-se que a doença já atingiu diferentes países e pessoas de etnias, raças e nacionalidades diferentes. No início, como o vírus surgiu na China, o preconceito com asiáticos subiu consideravelmente, e a OMS pede empatia com quem foi infectado, afinal, quem está com a doença não fez nada de errado.

Cuidado com a nomenclatura!

A indicação da OMS é evitar falar em “vítimas”, “casos” ou “doentes”. O melhor é falar em “pessoas que têm COVID-19”, já que depois de curadas, elas continuarão a vida normalmente. Empatia é a palavra!

Evite ver muitas notícias!

Nessas horas, o excesso de informações pode ser bem nocivo à saúde mental, causando ansiedade e nervosismo. Prefira informar-se uma ou duas vezes ao dia, apenas de fatos essenciais para ter conhecimento sobre a doença, como evitá-la e como se preparar para os próximos dias.

Dê espaço para notícias boas!

Procure histórias positivas sobre o coronavírus, como número de curados, medidas efetivas de prevenção ou qualquer outra coisa boa em relação à crise. Ajude, também, a divulgá-las entre seus amigos e familiares!

Mantenha a rotina normal em casa!

Principalmente se estiver com crianças. A dica é organizar atividades criativas e divertidas para o tempo de isolamento social. Além disso, falar abertamente sobre a COVID-19 pode amenizar a ansiedade das crianças, que podem estar com vários questionamentos sobre a situação.

Cuide dos idosos!

Por ser um grupo de risco, a maioria está em isolamento, o que pode causar mais ansiedade e irritabilidade neles. Ofereça apoio emocional e ajuda no que puder.

Honre profissionais da saúde!

São eles que estão na linha de frente da pandemia, cuidando de quem precisa , o que deve gerar ainda mais estresse e medo para eles. Além de reconhecer o ótimo trabalho que fazem, se você está perto de algum profissional da saúde, ofereça suporte e reconhecimento.

Seja pé no chão!

Não alimente ou deixe ser consumido por hipóteses catastróficas. Foque no presente e no que de fato pode ser feito para prevenir o pior cenário e mitigar os desafios que já existem.

Exercite-se!

Mesmo com as academias fechadas, é possível manter a atividade física em dia. Aplicativos de celular como Nike Training Club, Freeletics Bodyweight, Endomondo e FitNotes, possuem centenas de sugestões de exercícios para você fazer em casa e com segurança.

Seja gentil!

A gentileza é um ponto muito importante dentro do bem estar. Durante a pandemia, já vimos várias demonstrações e iniciativas de solidariedade, como as pessoas que, em todo o país, têm se oferecido para fazer a compras de mercado de vizinhos idosos, evitando que eles saiam do isolamento e arrisquem contrair a Covid-19. Nesse caso, a decisão voluntária de permanecer em quarentena pode ser encarada também como um ato de gentileza com o outro e consigo mesmo.

Comunique-se!

Apesar de precisar se isolar socialmente, isso não significa parar de se conectar com as pessoas. Se tiver mais tempo livre do que o normal, é importante dedicar parte dele para construir novos relacionamentos ou retomar algum contato. Faça uma lista com pessoas queridas e se comunique digitalmente com elas. É uma atitude que pode beneficiar ambos.

Medite!

A meditação vem ganhando espaço, principalmente em épocas de pandemia. Abra a sua mente, deixe de lado o preconceito e aprenda essa prática. Vamos lhe dar algumas dicas:

– Meditar não é pensar em “nada”, meditar é você focar em um movimento corporal que está com você 24 horas por dia, sem exceção: a sua respiração.

– Meditar é você perceber quais os pensamentos que lhe incomodam no momento e você gentilmente manda-los embora, pois vários deles são preocupações que não estão no seu controle no momento.

– Meditar é autocuidado e autoconhecimento, você conseguirá perceber os seus pensamentos, suas emoções e usar a sua respiração para se manter consciente no momento presente, sem culpas pelo passado e sem ansiedade pelo futuro.

Ajude as crianças a expressarem, de forma positiva, seus medos e ansiedades!

Cada criança tem sua própria maneira de fazê-lo.  Algumas vezes, a atividade criativa, jogos e desenhos podem ajudar. As crianças se sentem melhor e mais aliviadas quando podem comunicar os sentimentos num ambiente de apoio.

Envolva-se com atividades saudáveis e aproveite para relaxar. O exercício constante, o sono regular e uma dieta balanceada ajudam. Mantenha tudo em perspectiva. Os agentes de saúde em todos os países estão atuando para que os mais afetados pela pandemia recebam assistência e cuidados.

Há uma certeza: a pandemia é temporária! Por isso, mantenha seus pensamentos saudáveis e sua rotina focada em atividades que acalmem, lhe deem esperança e o mantenha ocupado com rotinas prazerosas.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.