Estima-se que cerca de 90% da população mundial tenha o vírus do herpes alojado no organismo. Mas apenas de 10 a 15% manifesta os sintomas.

A Herpes é uma doença muito comum que atinge pessoas de todas as idades. Ela pode ser transmitida em qualquer momento da vida, desde o nascimento até a fase adulta.

O QUE É HERPES?

Herpes simples é uma infecção viral comum e contagiosa, geralmente percebida por feridas na boca ou na região genital, como pênis e vagina. Porém, também pode ser assintomática (não apresentar sintomas) e atingir bebês.

A Herpes é originária por vírus que já estão presentes no organismo, sendo categorizada em dois tipos:

  • Herpes tipo 1 (HSV – 1)
  • Herpes tipo 2 (HSV – 2)

O herpes tipo 1 é transmitido principalmente por contato oral, ocasionando feridas e pequenas bolhas ao redor dos lábios ou na cavidade interna da boca. Já o herpes tipo 2 é uma infecção sexualmente transmissível que ocasiona feridas e bolhas na região genital.

CAUSAS

A transmissão do vírus da herpes simples se faz principalmente por contato direto entre pessoas, mesmo que não haja lesão ativa. Por sua vez, a infecção por meio de objetos pode existir, mas é menos comum.

  • SALIVA

A herpes de tipo 1 é transmitida por meio de contato com a saliva infectada. Isso pode ocorrer por beijos e compartilhamento de utensílios, como talheres e copos.

Vale ressaltar que não são somente beijos de língua que podem causar herpes, mas sim beijos nos rostos. Casos de bebês com feridas de herpes simples são comuns, especialmente após terem recebido beijos de alguém que sequer sabia que estava infectado com o vírus.

  • RELAÇÕES SEXUAIS

A Herpes tipo 2, é associada ao contágio com pessoa infectada por meio de relações sexuais, ocasionando a chamada herpes genital na boca ou herpes oral na área genital.

  • TRANSMISSÃO DO NASCIMENTO

    Esse tipo de transmissão da herpes da mãe ao bebê pode acontecer no momento do parto, caso a mãe esteja com o vírus da herpes ativo, principalmente se a mãe for muito jovem.

    A razão é que pessoas muito jovens têm menor quantidade de anticorpos capazes de combater a herpes. Por isso, consulte sempre seu ginecologista e obstetra durante a gestação.

  • TRANSMISSÃO VERTICAL, DE MÃE PARA BEBÊ

    O vírus da herpes também pode ser transmitido da mãe para o bebê durante a gravidez, no momento do parto e após o parto.

    No caso da transmissão vertical, a mãe transmite o vírus da herpes simples para o bebê por contaminação intrauterina próxima do momento do parto ou no pós-parto.

    A maioria dos casos acontecem próximo ao parto. Por isso, é importante cuidar da saúde durante a gravidez e comparecer a todas consultas de pré-natal.

QUAIS SÃO OS TIPOS?

  • HERPES GENITAL:

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível, causada pelo vírus da herpes.

Os principais sintomas da herpes genital, além da presença de bolhas ou úlceras com borda avermelhada e líquido, são:

  • Pequenos agrupamentos de bolhas e feridas;
  • Coceira e desconforto;
  • Dor;
  • Ardor ao urinar caso as bolhas estejam perto da uretra;
  • Ardor e dor ao defecar, caso as bolhas estejam próximas do ânus;
  • Ínguas na virilha;
  • Mal estar geral e possível perda de apetite.

As feridas causadas pelo herpes genital levam geralmente cerca de 10 dias para sarar e o tratamento é feito com remédios antivirais, comprimidos ou pomadas, que ajudam a diminuir a replicação do vírus no corpo e a curar as bolhas e feridas.

Além disso, as bolhas do herpes na região genital podem ser bem dolorosas, e nesses casos, o médico pode recomendar anestésicos locais, para aliviar a dor e o desconforto.

As feridas do herpes genital podem aparecer no pênis, vulva, vagina, região perianal ou ânus, uretra ou mesmo no colo do útero e na primeira manifestação podem surgir outros sintomas semelhantes aos da gripe como febre, calafrios, dor de cabeça, dor muscular e cansaço.

  • HERPES LABIAL:

O herpes labial é causado pelo vírus da herpes, podendo ser transmitido através do contacto direto com as bolhas ou feridas com líquido, como pode acontecer durante o beijo ou pela utilização de objetos usados por outra pessoa que tenha herpes. Saiba mais sobre herpes labial.

Os principais sintomas da herpes na boca, podem incluir:

  • Ferida no lábio;
  • Bolhas sensíveis;
  • Dor na boca;
  • Coceira e vermelhidão em um canto do lábio.

As feridas causadas pelo herpes labial podem durar entre 7 a 10 dias e o tratamento pode ser feito com pomadas de aplicação tópica ou comprimidos.

  • HERPES OCULAR

O herpes ocular é causado pelo vírus herpes simples tipo I, que se pega através do contacto direto com bolhas ou úlceras com líquido causadas pelo herpes ou devido ao contacto de mãos infectadas com os olhos.

Os principais sintomas da herpes ocular são geralmente semelhantes aos de uma conjuntivite e são:

  • Sensibilidade à luz;
  • Coceira no olho;
  • Vermelhidão e irritação no olho;
  • Visão embaçada;
  • Ferida na córnea.

Assim que estes sintomas surgem, é importante consultar o oftalmologista para que possam ser tratados o mais rápido possível, de forma a evitar complicações mais graves ou mesmo cegueira.

O tratamento do herpes ocular é geralmente feito com remédios antivirais para aplicar no olho. Também podem ser receitados colírios antibióticos para prevenir o aparecimento de infecções secundárias, causadas por bactérias.

HERPES TEM CURA?

A Herpes é uma doença que não tem cura, seja genital, labial ou ocular.

Não é possível eliminar o vírus do organismo e este pode inclusive permanecer inativo no corpo durante vários meses ou até mesmo anos, não causando sintomas. Porém, quando esta doença se manifesta, os sintomas surgem geralmente na forma de episódios, que dependendo do organismo da pessoa, podem surgir 1 a 2 vezes por ano.

COMO PREVENIR?

Como o responsável pelas lesões nos lábios é um vírus altamente contagioso, é bom tentar se manter longe dele, evitando compartilhar copos, talheres e itens de maquiagem. Se notar sinais da doença na pessoa ao lado, mantenha distância para escapar das gotículas de saliva contaminadas.

Algumas atitudes contribuem para evitar o aparecimento das feridas labiais. Uma das principais é ter cuidado ao se expor ao sol. Os raios ultravioleta fragilizam as nossas defesas, além de ressecar os lábios, que ficam mais vulneráveis.

O uso de protetor labial e corporal ajuda, mas não impede por completo que o herpes ataque. Para quem convive com crises periódicas, é prudente valorizar a sombra.

A alimentação também influencia na prevenção. É que a arginina, uma substância presente em nozes, amêndoas chocolate e uva, costuma atiçar o vírus. Pelo mesmo motivo, suplementos à base desse aminoácido, muito difundidos em academias de ginástica para fortalecer os músculos, são um perigo para quem é suscetível.

RECOMENDAÇÕES

Procure ajuda médica caso você apresente sintomas que lembrem a infecção da herpes. Existem muitas doenças diferentes que podem causar lesões similares, principalmente na região genital. Então, a consulta com um especialista é extremamente importante.

Se você tiver um histórico de infecção de herpes e desenvolver lesões similares, informe um médico caso elas não melhorem de 7 a 10 dias; ou caso você sofra de alguma doença que enfraqueça o sistema imunológico.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.