Ficar em casa é a principal medida para reduzir a velocidade de transmissão do Covid-19. Mas, fora desse ambiente, alguns espaços podem representar maior ou menor risco de contágio.

“Uma análise feita por pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, utilizou dados de movimentação de 10 estados do país para identificar os lugares onde há maior risco de contaminação pelo novo Coronavírus, sem o uso de máscaras.”

O primeiro modelo de estudo foi realizado nos primeiros meses da pandemia, quando aparelhos de proteção facial não eram utilizados com frequência. Nesse contexto, alguns dos locais com maior risco de contaminação foram: restaurantes, academias, hotéis e motéis, mercado, centros religiosos, cafés e bares, pet shops e consultórios médicos.

Ao analisarem a segunda onda de contaminação da Covid-19, os cientistas observaram que, apesar do aumento da mobilidade das pessoas, os números de infecção apresentaram queda. Com isso, a conclusão feita por eles é que o uso de máscaras ajuda a reduzir o risco de contaminação de maneira considerável. Assim, junto com o uso de máscaras, a probabilidade de transmissão do Coronavírus pode ser reduzida.

“As minorias e populações mais pobres estão em maior risco para a doença. Isso porque eles saem de casa com maior frequência, devido às exigências dos respectivos empregadores, e compram em estabelecimentos menores, com maior aglomeração de pessoas.”

A pesquisa avaliou uma série de situações. Entre ir ao mercado e passar uma hora em um parque, por exemplo, a segunda opção é mais ariscada. Já quando comparamos uma praia no fim de semana e uma caminhada ou passeio de bicicleta, a primeira traz mais riscos. Atividades como ir ao salão de cabeleireiro e almoçar em um restaurante apresentam o mesmo risco: moderado alto. Confira abaixo:

POUCO RISCO

  • Abrir a caixa de correios;
  • Pegar entrega de comida;
  • Abastecer o carro;
  • Jogar tênis;
  • Sair para acampar.

MÉDIO – BAIXO

  • Caminhar, correr, andar de bicicleta com outros;
  • Jogar golfe;
  • Ficam em um hotel por duas noites;
  • Aguardar na sala de espera médica;
  • Ir a uma biblioteca ou a um museu;
  • Comer em um restaurante ao ar livre;
  • Andar em um centro movimentado;

MÉDIO

  • Jantar na casa de outra pessoa;
  • Ir a um churrasco;
  • Ir na praia;
  • Fazer compras em um shopping center;
  • Enviar as crianças para escola, acampamento ou creche;
  • Trabalhar uma semana em um prédio de escritórios;
  • Nadar em uma piscina pública;
  • Visitar um parente ou amigo na casa dele;
  • Ir a um salão de cabeleireiro ou barbearia.

MÉDIO ALTO

  • Comer em um restaurante (ambiente fechado);
  • Ir a um casamento;
  • Viajar de avião;
  • Jogar basquete;
  • Jogar futebol;
  • Abraçar ou apertar a mão de alguém.

RISCO ALTO

  • Comer em um self-service;
  • Se exercitar em uma academia;
  • Ir a um parque de diversões
  • Ir ao cinema;
  • Ir a shows;
  • Ir a um centro religioso com mais de 500 pessoas;
  • Ir a um bar.

Todas as atividades trazem risco, inclusive encontros dentro e fora de casa com pessoas da família, amigos e conhecidos. Pesquisadores já alertaram para essa falsa sensação de segurança, que acaba provocando a falta de uso de máscara, aglomeração e contato físico.

 

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.