Sintomas como cansaço, queda de cabelo e resfriados constantes podem ser sinais de baixa imunidade. Por esse motivo, reunimos neste artigo alguns sinais preocupantes que indicam quando sua imunidade está baixa. Obviamente, alguns deles podem ser vagos e significar uma infinidade de complicações. Dessa forma, não substituem uma avaliação médica.

O sistema imunológico possui uma função muito importante: impedir a ação de vírus, fungos e bactérias no organismo. Para isso acontecer, as células imunológicas precisam estar saudáveis, o que nem sempre acontece. Em tempos de pandemia, é importante observar como está a capacidade da defesa natural do organismo.

Desde o nascimento, o sistema imunológico está ativo no organismo, mas só atinge a maturidade a partir dos 12 anos. Apesar de ser uma resposta natural do organismo, a imunidade precisa ser cotidianamente cuidada, com o auxílio de vitaminas e minerais presentes nos alimentos, a prática de exercícios físicos e bem-estar mental.

Por outro lado, hábitos ruins, como má alimentação, sedentarismo, abuso de álcool, estresse e uso de alguns medicamentos, baixam a capacidade das células imunológicas.

Funcionamento do sistema imunológico

O sistema imunológico é um conjunto de moléculas, células, tecidos e órgãos. Juntos, eles atuam para notar a presença de células e agentes estranhos, como germes, vírus e bactérias. Além disso, o sistema imune é responsável pela reação do corpo às doenças causadas por esses invasores, logo, eles precisam ser eliminados. De modo geral, nossa imunidade é formada pelos seguintes componentes:

  • Leucócitos: estes são os principais agentes de defesa do organismo, conhecidos como glóbulos brancos. Produzidos pela medula óssea, existem vários subtipos de leucócitos, como os monócitos, linfócitos e plasmócitos;

 

  • Anticorpos: anticorpos são um tipo de molécula, produzidos pelos plasmócitos citados anteriormente, eles se unem aos antígenos, agentes causadores de doenças, e com isso neutralizam sua ação, basicamente provocando uma reação diferente no organismo, sem risco para a saúde;

 

  • Órgãos linfóides: por fim, os órgãos linfóides são tecidos com grande concentração de linfócitos. São divididos entre os centrais, como a medula óssea, e periféricos, como baço, tonsilas e apêndice.

 

É comum a crença de que cansaço, unhas frágeis e queda de cabelo são os sinais mais comuns de que uma pessoa está com a imunidade baixa. Porém, esses problemas podem ser causados por diversos sintomas, não só por doenças. Pode se tratar apenas de uma predisposição genética, por exemplo.

E então, como saber se minha imunidade está baixa? Para isso, é importante ficar atento a sintomas recorrentes e persistentes, normalmente associados a doenças comuns. Isso irá indicar que o seu organismo não está conseguindo produzir anticorpos o suficiente para combater essas doenças, como gripes, resfriados, otites e similares.

Quais são as causas?

Alguns fatores podem contribuir com a queda da imunidade, como:

  • Sono insuficiente;
  • Estresse prolongado;
  • Má alimentação;
  • Excesso de exercícios físicos;
  • Variações hormonais;
  • Medicamentos que afetam a imunidade, como corticoides e antibióticos;
  • Quimioterapia;
  • Predisposição genética;
  • Obesidade;
  • Alcoolismo;
  • Gestação.

O corpo precisa de energia suficiente para combater micro-organismos nocivos à saúde, o que só é possível com adequada quantidade e qualidade de sono. Isso explica o porquê de gripe e outras infecções gerarem vontade de dormir o dia todo.

A falta de sono apresenta efeito similar no sistema imunológico ao estresse, de modo a interromper a produção normal de glóbulos brancos, componentes fundamentais do sistema imunológico. O recomendado é que adultos durmam ao menos sete horas por dia, enquanto bebês e crianças tenham de nove a 11 horas de sono diariamente.

Atividade física regular é um pilar importante da vida saudável, visto que melhora a saúde cardiovascular, reduz a pressão arterial, ajuda a controlar o peso e evita uma variedade de doenças.

Assim como uma dieta saudável, o exercício pode contribuir para o mantimento do sistema imunológico saudável, gerando respostas rápidas e eficazes contra infecções.

Imunidade em tempo de Coronavírus

Outro agente que é capaz de superar o sistema imunológico são vírus novos, como é o caso do novo coronavírus. Por ser algo que o organismo não tem conhecimento pré-existente, o corpo tem mais dificuldade para identificar e combater o invasor.

Na esteira dos acontecimentos, muitos tentam oferecer soluções caseiras como alternativa no combate a Covid-19, contudo isso deve ser visto com muito cuidado, pois não existe nada conhecido que combata a doença. O funcionamento de forma saudável do sistema imunológico segue sendo uma alimentação balanceada, atividade física e equilíbrio emocional.

A disseminação da Covid-19 é uma preocupação global. Mas é importante não entrar em pânico e ter cuidado com notícias falsas. Busque sempre informações em órgãos nacionais e internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde.

Então, o que fazer para aumentar a imunidade?

O que se sabe até o momento é que: para o bom funcionamento de todo nosso corpo, o sistema imune deve estar sempre preparado para nos proteger das agressões. O primeiro passo para isso é uma alimentação saudável. Assim, os nutrientes são essenciais para a multiplicação e funcionamento completo das células de defesa.

Além disso, devemos evitar coisas que causam danos ao corpo. Veja hábitos que fazem toda a diferença: não fumar, manter um peso corporal adequado e evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Além disso, manter uma rotina adequada também é essencial, incluindo atividades como: praticar exercícios físicos regularmente; dormir bem, se prevenir de doenças infecto-contagiosas, momentos de relaxamento e deconexão das notícias e das redes sociais.

Um fato importante já comprovado é que a nossa resposta imune diminui com o envelhecimento. Isso contribui para que os idosos sejam mais suscetíveis a doenças infecciosas, além de terem mais chances de desenvolver formas graves e de apresentarem dificuldades para se recuperar. Por isso, os idosos são um grupo de risco para várias doenças, entre elas a covid-19.

Há vitaminas e minerais que são muito importantes para o sistema imunológico, como o zinco e a vitamina C. Com uma alimentação saudável, você terá toda a quantidade deles. Uma grande vantagem: quando você come com variedades frutas e vegetais, seu corpo ganha também outras substâncias que ajudam a proteger o corpo, mas que não estão presentes nos suplementos. Por isso,  você só deve tomar suplementos ou fórmulas quando seu médico receitar.

Mas, atenção: não existe um alimento ou suplemento que cura a covid-19! É muito melhor comer com variedade do que exagerar no limão para ter muita vitamina C. Bem nutrido, seu corpo terá mais força para enfrentar as doenças.

Resumindo, não se deixe enganar por fórmulas milagrosas, pois não existe um alimento ou suplemento que vai, sozinho, melhorar sua defesa natural. O essencial para que você mantenha o bom funcionamento do seu corpo é manter hábitos saudáveis. Uma dieta balanceada, a prática regular de exercícios e a adoção de medidas de prevenção de doenças contagiosas serão os grandes aliados para que seu corpo esteja melhor preparado para combater eventuais doenças.

Alimentar-se bem e suprir as necessidades nutricionais do corpo é fundamental para manter uma boa saúde e as células de defesa ativas. O chá verde, o alho e o mel são bons exemplos de alimentos que podem ser incluídos na dieta para esses fins. No geral, entre as substâncias mais recomendadas para fortalecer o sistema imunológico, estão:

  • vitamina C (laranja, limão, gengibre, frutas cítricas);
  • vitamina A (cenoura, couve, abóbora);
  • vitamina E (grãos, folhas verdes, óleos vegetais);
  • ômega 3 (salmão, atum, linhaça);
  • ácido fólico (vegetais verde-escuros, feijão, cogumelos);
  • zinco (carne bovina, nozes, amêndoas).

Portanto, montando um cardápio variado e balanceado, é possível favorecer a imunidade, reduzindo as chances de deficiências e suas complicações.

E aí, conseguiu aprender um pouco mais sobre como melhorar o sistema imunológico e evitar a baixa imunidade? De qualquer forma, saiba que o ideal é procurar um médico ao notar que você tem sido uma vítima frequente de gripes e resfriados, bem como se tiver sentindo muito cansaço, febre e ansiedade.

 

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.