Há quanto tempo você não escuta os termos “amarelão”, “barriga d’água” e “bicho de porco”?

Felizmente, já tem alguns anos, não é mesmo? Apesar dos nomes e das doenças não terem sido extintas, essas expressões eram popularmente conhecidas, pois representavam não só os sintomas, mas também os riscos de determinadas parasitoses intestinais. Logo, muitas pessoas tomavam o famigerado vermífugo para preveni-las.

Mas, o que é o vermífugo?

 

O medicamento

O vermífugo é o nome dado para um grupo de medicamentos capaz de tratar os vermes intestinais. Contudo, só pode ser administrado após exames que confirmem a presença dos parasitas, seguido da avaliação médica. Pois para cada parasitose existe um remédio específico para o tratamento adequado.

Além do que, dependendo do estágio da contaminação, pode ser necessário receber mais doses do medicamento.

Sintomas

Os principais sintomas de verminose são:

  • Dores abdominais ;
  • Náuseas ;
  • Vômitos ;
  •  Diarreia ;
  • Falta de apetite;
  • Perda de peso;
  • Anemia ;
  • Problemas respiratórios;
  • Em certas situações, comprometimento cerebral.

As quatro mudanças que fizeram diferença na diminuição do vermífugo

Felizmente o mundo mudou. Neste sentido, para muito melhor. Algumas destas mudanças foram decisivas para ajudar a diminuir a quantidade de vermes que indiscriminadamente coabitavam nosso organismo, como intrusos invasores desagradáveis e não convidados.

  • O saneamento básico

    O tratamento da água e a canalização do esgoto, melhoraram indiscutivelmente a qualidade de vida. Pois, esse processo se tornou mais presente nas cidades, oferecendo tratamento de água e esgoto com mais eficiência nos locais em que a população tem boas condições de vida.

  • A Comunicação

A popularização dos meios de comunicação, como a TV e a internet, ajudaram a disseminar informações preciosas sobre saúde, que são essenciais para uma vida mais tranquila e saudável.

  • A alimentação

A alimentação mais processada e industrializada é mais higienizada. Embora essa alimentação tenha um valor nutricional menor em relação aos alimentos naturais, esses produtos são praticamente isentos de vermes. Este é um dos lados positivos da alimentação que nos está disponível nos supermercados de todos os dias

  • Os locais infantis de diversão

    O fato de as crianças não terem mais tanto contato com a terra e os animais, restringindo suas brincadeiras a espaços como condomínios, edifícios e playgrounds,  acaba positivando ainda mais as chances de contaminação por parasitas, que é infinitamente menor nestes locais.

Como resultado de todas essas mudanças, a ocorrência das verminoses é muito menor agora do que antigamente, de forma que, para a população em geral, não é mais necessário tomar remédio contra vermes todos os anos.

 

Quem pode tomar o vermífugo?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tratamento deve ser periódico para as pessoas que vivem em áreas de risco e com maior ocorrência às parasitoses. Este grupo inclui crianças de 1 a 14 anos de idade e trabalhadores com riscos ocupacionais como mineradores e alguns trabalhadores do campo.

As pessoas que moram em áreas acima de 20% de ocorrência de parasitoses devem receber tratamento anualmente e, se for maior que 50%, elas devem receber tratamento a cada 6 meses.

 

O vermífugo para cães e gatos

Para que os seus cães e gatos estejam sempre dispostos, é importante ter alguns cuidados especiais com a saúde deles.  Para isso, os vermífugos para cães e gatos são grandes aliados.

O vermífugo deve ser utilizado em um tratamento constante. De acordo com a idade, raça e peso do seu peludo, incluem maiores ou menores dosagens em diferentes espaçamentos de tempo.

Para começar a preveni-los desde o início de suas vidas, a primeira dose do vermífugo deve ser dada entre os primeiros 15 a 30 dias de vida. Mas antes, é preciso levá-lo a um veterinário, já que só ele poderá indicar a dosagem correta do medicamento.

Fique atento aos sintomas. Um dos principais sintomas de verminose em cães e gatos, é a presença de sangue nas fezes. Além disso, um animal com vermes também apresenta perda de peso e apetite, pelos secos e sem brilho, com quedas em abundância, vômitos, anemia, diarreia e sonolência.

Portanto, caso você identifique algum desses sintomas em seu bichinho, leve-o a um veterinário de confiança o mais rápido possível. Assim, ele iniciará um tratamento com um vermífugo adequado. Afinal, medicamentos são tóxicos e, por isso, devem ser fornecidos de acordo com a necessidade de cada animal.

 

Não pense em se automedicar

Mesmo que haja a recomendação de tomar remédio para vermes uma vez por ano, isso não justifica a automedicação. Afinal, como qualquer outro medicamento, os vermífugos podem oferecer efeitos colaterais perigosos, incluindo reações alérgicas graves. Por isso, além das medidas de saneamento, que dependem do serviço público, a prevenção mais segura e eficiente contra as doenças causadas por vermes ainda está nos cuidados com a higiene. Por exemplo:

  • Evitar andar descalço em locais de higiene duvidosa ;
  • Lavar as mãos com água e sabão antes de preparar alimentos, antes de comer e depois de ir ao banheiro ;
  • Beber apenas água engarrafada, filtrada ou fervida ;
  • Higienizar frutas, legumes e verduras antes do preparo.

Recomendações

Mesmo quando a verminose já esteja instalada, somente um médico poderá indicar o melhor medicamento para cada doença. Muitas vezes, um exame de fezes é realizado para identificar o parasita em questão. Assim, mesmo que haja casos em que é necessário tomar remédio contra vermes todos os anos, fazer isso sem orientação médica pode ser perigoso. Portanto, em vez de se automedicar, procure sempre aconselhamento profissional.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.