Saúde

Sarampo: Sintomas e Prevenção

Por 7 de agosto de 2019 Nenhum comentário

Casos de sarampo no estado de São Paulo sobem 53% em uma semana. De acordo com o balanço divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde, até 31 de Julho foram registrados 967 casos de sarampo.

O que é?

O sarampo é uma doença infectocontagiosa provocada por um Morbilivirus e transmitida por secreções das vias respiratórias como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse. Assim, também pode ser contraída por pessoas de qualquer idade.

As complicações infecciosas contribuem para a gravidade da doença, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de cerca de 12 dias, mas a transmissão pode ocorrer antes do aparecimento dos sintomas e estender-se até o quarto dia depois que surgiram placas avermelhadas na pele.

Por este fato, o sarampo é uma doença potencialmente grave, sendo considerada uma das principais causas de morbimortalidade entre crianças menores de 5 anos de idade.

Como o sarampo é transmitido?

O vírus do sarampo é facilmente passado de um indivíduo doente para outro não-imunizados através de secreções. Ou seja, um espirro ou um beijo são mais do que o suficiente. O período de incubação dura em média 10 dias, mas pode variar de 7 a 18 dias. Isto significa que esta é a média de tempo desde a data da exposição ao vírus até o aparecimento dos sintomas.

A enfermidade é transmitida durante a fase mais ativa do problema, em que o paciente apresenta febre alta e mal-estar, por exemplo.

Quais os sintomas?

  • Manchas avermelhadas na pele;
  • Tosse;
  • Febre;
  • Mal-estar;
  • Conjuntivite;
  • Coriza;
  • Perda do apetite;
  • Manchas brancas na parte interna das bochechas;
  • Pneumonia;
  • Encefalite.

 

Como prevenir o sarampo?

A vacinação é a única maneira de prevenir a doença.

O esquema vacinal vigente é de duas doses de vacina com componente sarampo para pessoas de 12 meses até 29 anos de idade, sendo uma dose da vacina tríplice viral aos 12 meses de idade e uma doses da vacina tetra viral aos 15 meses de idade, até 29 anos o indivíduo deverá ter duas doses. Uma dose da vacina tríplice viral também está indicada para pessoas de 30 a 49 anos de idade.

Para crianças que ainda não foram vacinadas, uma prevenção é evitar o contato com pessoas que apresentam os sintomas de sarampo. As vacinas estão disponíveis nas mais de 36 mil salas de vacinação do país de acordo com as indicações do Calendário Nacional de Vacinação.

Existe tratamento para o sarampo?

Não há um remédio específico para a doença, por isso há mais um motivo para não deixar de se vacinar. O paciente deve se manter sempre hidratado e bem alimentado.

Além de tudo, uma pessoa que está com sarampo deve ficar de repouso por todo o período de infecção, pelo menos até quatro dias após o aparecimento das manchas, que é quando a transmissão pode ocorrer de maneira mais fácil. Em caso de complicações, o médico pode aumentar esse período.

O sarampo pode deixar sequelas?

Sim. As complicações da doença, que incluem otites, infecções respiratórias e doenças neurológicas, podem provocar sequelas como surdez, cegueira, retardo do crescimento e redução da capacidade mental.

Diagnóstico

O diagnóstico é baseado nos dados epidemiológicos, quadro clínico (sintomas) e exames laboratoriais. A confirmação laboratorial é realizada através da detecção de anticorpos no sangue na fase aguda da doença, desde os primeiros dias de sintomas até 4 semanas após o aparecimento do exantema (erupção cutânea). Os anticorpos específicos podem, eventualmente, aparecer na fase aguda da doença e permanecem detectáveis ao longo da vida.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.