Saúde

Tontura aguda e persistente? Saiba quais são as causas!

By 1 de setembro de 2020No Comments

Muitas doenças se manifestam com sensação de tontura ou vertigens, desde patologias leves e sem maior preocupação até quadros mais graves e preocupantes de saúde. Antes de mais nada, é fundamental pontuar o conceito de tontura e vertigem, já que muita gente se confunde com os termos e acaba utilizando como sinônimos.

Tontura 

A tontura é uma sensação subjetiva de fraqueza geral, zonzeira ou sensação de pré desmaio. Pode indicar problemas crônicos no sistema vestibular. Geralmente, as pessoas descrevem a tontura como “sensação de cabeça vazia, de estar flutuando”. Já a sensação de desmaio, onde a pessoa sente a vista escurecer, não é pode ser classificada como tontura. Segundo o otorrino, ela é conhecida como pré-síncope ou lipotimia. A lipotimia é a sensação de desmaio iminente, sem que efetivamente ocorra o desmaio. A dificuldade de equilíbrio (que não traz a sensação de corpo em movimento e nem flutuação) é um problema motor e pode estar relacionada a doenças neurológicas.

 Dessa forma, a tontura pode ser mais especificamente descrita como uma dos seguintes sensações:

  • Falsa sensação de movimento ou de rotação (vertigem);
  • Sensação de desmaio;
  • Perda de equilíbrio ou instabilidade;
  • Outras sensações como flutuar ou nadar.

A tontura pode vir acompanhada de perda de equilíbrio, náuseas ou vômito. Você pode ter dificuldade para andar ou manter a postura ereta, bem como sentir sonolência. O sintoma muitas vezes desaparece ou melhora ao se deitar.

Vertigem

A vertigem traz aquela sensação de que tudo está rodando, ou indo para frente, para os lados, seja do espaço ao redor em relação ao corpo, seja do corpo em relação ao espaço. Essa sensação pode ser de rotação (mais frequente) ou mesmo de balanço.

Na maioria das vezes, a vertigem é causada por doenças relacionadas ao ouvido, chamadas de síndromes vestibulares periféricas, ou popularmente labirintites, que incluem doenças como vertigem posicional paroxística benigna (VPPB), neurite vestibular, doença de Ménière e intoxicação por remédios, por exemplo. Entretanto, também podem surgir devido a uma alteração neurológica mais grave, que incluem AVC, enxaqueca ou tumor cerebral.

Assim, entre as principais causas de vertigem, estão:

1) Vertigem Paroxística Posicional Benigna (VPPB)

É uma causa comum de vertigem, provocada pelo descolamento e movimentação dos otólitos, que são pequenos cristais que se localizam nos canais do ouvido, responsáveis por parte do equilíbrio. A vertigem costuma durar alguns segundos ou minutos, geralmente, desencadeada por alterações na posição da cabeça, como olhar pra cima ou para o lado.

O tratamento das crises é feito com remédios que funcionam como supressores vestibulares, como anti-histamínicos, antieméticos e sedativos. Entretanto, o tratamento para esta doença é feito com manobras fisioterapêuticas de reposicionamento dos otólitos, através de movimentos que utilizam a gravidade, como a manobra de Epley, por exemplo.

2) Labirintites

Apesar de qualquer vertigem ser conhecida como labirintite, na verdade ela acontece quando há a inflamação de estruturas do ouvido que forma o labirinto. Algumas causas de inflamação incluem:

  • Doença de Ménière: é uma causa ainda não esclarecida de labirintite, provavelmente por excesso de líquido nos canais do ouvido, e causa sintomas de vertigem, zumbido, sensação de ouvido cheio e diminuição da audição.
  • Neurite vestibular: é provocada pela inflamação do nervo da região do ouvido, chamado de nervo vestibular, e causa uma vertigem aguda e intensa, que melhora em algumas semanas.

Além disso, também pode ocorrer a chamada labirintopatia metabólica, provocada por aumento de insulina, diabetes, hiper ou hipotireoidismo e aumento de colesterol ou triglicerídeos, que pode aliviar com o tratamento destas doenças.

3) Intoxicação por medicamentos

Certos medicamentos podem ter efeito tóxico para regiões do ouvido, como cóclea e vestíbulo, e alguns deles são antibióticos, anti-inflamatórios, diuréticos, antimaláricos, quimioterápicos ou anticonvulsivantes, por exemplo.

Em algumas pessoas, substâncias como álcool, cafeína e nicotina podem desencadear ou piorar as crises, que consistem em tontura, zumbido e diminuição da audição. Para tratar, pode ser necessária a interrupção ou modificação do medicamento utilizado, quando indicado pelo médico.

4) Causas neurológicas

Tumor cerebral, traumatismo crânio-encefálico e AVC são causas neurológicas de vertigem, que costumam cursar de forma mais grave, persistente e sem melhora com o tratamento habitual. Além disso, podem ser acompanhados de outros sinais e sintomas, como dor de cabeça, alteração da visão, diminuição da força muscular e dificuldades na fala, por exemplo.

Outra doença que deve ser lembrada é a enxaqueca vestibular, quando a vertigem é provocada por uma enxaqueca, que dura minutos a horas, a depender da intensidade da crise, e é acompanhada por outros sintomas de enxaqueca, como dor de cabeça latejante, visão de pontos brilhantes e náuseas.

O tratamento destas causas neurológicas deve ser orientado pelo neurologista, de acordo com o tipo de doença e as necessidades de cada pessoa.

5) Infecções

Infecções bacterianas ou virais da orelha interna, geralmente após uma otite, causam uma quadro abrupto de vertigem e diminuição da audição. Após confirmação da infecção pela avaliação médica, o tratamento é efetuado com corticóides e antibióticos, podendo ser necessária uma drenagem cirúrgica da secreção acumulada.

Quais os cuidados você deve tomar?

  • Se você tende a sentir-se tonto quando está de pé, tente fazer alterações na postura;
  • Beba bastante líquidos para evitar a desidratação, o que pode causar ou agravar a tontura;
  • Se você já teve episódios de tontura enquanto dirigia, busque transportes alternativos até a data da consulta;
  • Se você tem a sensação de que vai cair, tente reduzir o risco mantendo a casa bem iluminada e tomando outras medidas como evitar fios elétricos expostos e tapetes escorregadios.

Recomendações médicas

Marque uma consulta médica se você sente tontura frequentemente sem causa aparente. Procure um serviço de emergência se a tontura ou vertigem aparecer juntamente com um ou mais dos seguintes problemas:

  • Traumatismo Craniano;
  • Dor de cabeça grave ou diferente de todas que você já teve;
  • Pescoço rígido;
  • Visão turva;
  • Dificuldade para falar;
  • Fraqueza na perna ou braço;
  • Perda de consciência;
  • Dificuldade para caminhar;
  • Dor no peito;
  • Batimentos cardíacos mais rápidos ou mais lentos que o normal.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Especialistas que podem diagnosticar as causas de tontura são: clínico geral, neurologista e otorrinolaringologista.

 

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.