Saúde

Problemas com acne: causas e como tratar

Por 4 de julho de 2019 Nenhum comentário

A acne é uma doença que precisa ser tratada independentemente da idade da pessoa. Espremer e cutucar espinhas devem ser evitados, assim como o uso de produtos caseiros ou desconhecidos. Não se deve também acreditar em soluções milagrosas, pois elas só pioram o quadro. A acne pode ser angustiante e irritantemente persistente. Suas lesões cicatrizam lentamente e, muitas vezes, quando começam a melhorar, outras parecem surgir.

 

O que é a acne?

Acne é o nome dado as espinhas e cravos que surgem devido a um processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilossebáceos. Muito frequente na fase da adolescência, sem deixar de ser comum também em adultos, principalmente em mulheres.

Além do incômodo das lesões, como na adolescência a aparência é um fator importante, o comprometimento estético determinado por alterações da pele pode atingir o lado psicológico e tornar o adolescente inseguro, tímido, deprimido, infeliz, com rebaixamento da autoestima e com consequências sérias que podem persistir pelo resto da vida.

Quais são os tipos de acne?

 

  • ACNE NÃO INFLAMATÓRIA:


 É a mais comum, caracterizada pela presença dos cravos, principalmente, na testa, bochechas e nariz. O tratamento da acne tipo I baseia-se em uso tópico.

 

  • ACNE PÁPULO-PUSTULOSA:

Apresenta cravos e espinhas avermelhadas, inflamadas, dolorosas e, muitas vezes, com pus.

 

  • ACNE NÓDULO-CÍSTICA:

Apresenta nódulos inflamados na pele, muitas vezes chamadas de espinhas internas.

 

  • ACNE CONGLOBATA:

Caracterizada pela presença de cistos ou nódulos inflamados próximos uns dos outros.

 

  • ACNE FULMINANS:

Um tipo mais raro e grave de acne, onde as lesões são acompanhadas de sintomas como febre, fraqueza e dor muscular, sendo mais comum nos homens.

Antes de começar qualquer tipo de tratamento para acne, o ideal é que você procure o seu dermatologista para uma consulta!

 

Qual a diferença entre acnes e espinhas?

Os termos acne e espinha representam a mesma patologia, sendo acne o nome científico para o problema e espinha a palavra mais utilizada na linguagem popular para casos isolados.

A inflamação geralmente aparece em peles oleosas e tem seus primeiros sinais na adolescência. No entanto, também pode ocorrer o surgimento da acne na pele adulta na maioria das vezes associada às alterações hormonais dessa fase.

Em nossa pele, existem glândulas sebáceas, responsáveis por produzir o sebo, um tipo de gordura que serve para proteger a cútis. No entanto, quando produzido em excesso, os poros são obstruídos, tornando o local ideal para a proliferação de bactérias. Para contê-las, nossas células de defesa produzem pus e assim se formam as espinhas.

Quais são as causas?

A acne pode ser causada por diversos motivos, entre eles alterações hormonais, predisposições genéticas, níveis elevados de estresse, uso de alguns medicamentos específicos, suplementos e cosméticos com formulações e texturas oleosas.

  • O uso de produtos oleosos, como bronzeadores e outros cosméticos;
  • O uso da cortisona;
  • Uso do complexo B e do iodo em excesso;
  • Distúrbios hormonais e ovários policísticos;
  • Tensões emocionais;
  • Dormir de maquiagem.

 

Qual a diferença entre espinhas internas e externas?

As espinhas internas são lesões que não evoluem para pústula, quando há pus visível, ao contrário da espinha externa, que logo erupciona. Assim, elas podem até dar o ar da graça com o tempo, mas, quando não acontece, ficam mais doloridas.

A acne interna, assim como as outras, surge com o entupimento das glândulas sebáceas por conta do acúmulo de sebo. A única diferença neste caso, é que o excesso se torna tão grande que acaba obstruindo totalmente, evitando a saída do pus.

Como cuidar da pele acneica?

O ritual de cuidados é fundamental para que o rosto fique limpo, protegido e com sebo controlado.

Para isso, a pessoa precisa manter uma rotina de cuidados com uma higienização adequada. Essa rotina é a melhor maneira de prevenir todos os incômodos característicos da região. Usando os dermocosméticos corretos, é possível controlar a alta produção de sebo pelas glândulas sebáceas e a proliferação de bactérias, diminuir a aparência dos poros dilatados e evitar o surgimento da acne.

Mas, para manter a pele saudável, não basta apenas lavar o rosto todas as manhãs. É preciso seguir uma rotina regrada, de acordo com o que foi recomendado pelo dermatologista.

Passo a passo para cuidar da pele acneica:

De manhã:

1) Lave o rosto com um sabonete (em barra ou gel) próprio para a pele oleosa e acneica;

2) Aplique um dermocosmético anti-acne, específico para tratar as espinhas e corrigir manchas na pele;

3) Use um protetor solar facial com FPS 30 ou acima, com textura oil free e toque seco;

Assim, a sua pele está pronta para receber a maquiagem e começar bem o dia!

À tarde:

1) Reaplique o filtro solar para manter a eficácia do produto e a pele protegida;

2) Use um spray anti-oleosidade para controlar o excesso de brilho;

Assim, você mantém o rosto sequinho, saudável e longe da oleosidade até o fim do dia.

De noite:

1) Retire a maquiagem e outras impurezas acumuladas no rosto com uma solução micelar;

2) Lave o rosto para evitar o excesso de oleosidade durante à noite;

3) Aplique um hidratante facial para pele oleosa a fim de repor os nutrientes da região e preservar as fibras de colágeno.

 

Como tratar as marcas de acne?

As manchas e marcas de acne acontecem devido à produção de melanina, causada pelas próprias inflamações cutâneas. Ou seja, juntando o processo inflamatório com a própria tendência de produzir coloração à pele, o resultado é a pigmentação pós inflamatória, ocasionando as manchas.

Tipos de mancha de espinha:

  • Arroxeadas;
  • Vermelhas;
  • Marrons.

Tipos de cicatrizes de acne:

  •  Atróficas: parecidas com um buraquinho;
  • Hipertróficas: inchadas e sobressaídas.

Assim, para evitar as manchas na pele, o ideal é apostar no uso diário do filtro solar facial com FPS 30, no mínimo, para proteger as lesões da radiação e evitar queimaduras. Agora, quando a marca está formada, ela pode ser tratada com procedimentos clínicos, como peelings ou clareadores e laser ou luz pulsada, em casos mais graves.

Acne tem cura?

A acne é um problema tratável e até mesmo suas cicatrizes e manchas podem ser amenizadas, por mais profundas que sejam. Assim, esse problema tem controle, e quanto mais precoce o tratamento é iniciado, há menos chances de desenvolver sequelas. Porém, quem sempre apresenta pele oleosa, sempre terá que tratar a pele para prevenir o aparecimento de novas lesões.

Portanto, podemos sim dizer que é um problema com chances de cura.

Recomendações médicas

A acne geralmente não é uma condição médica séria. Mas você pode querer procurar um dermatologista para tratar espinhas persistentes ou cistos inflamados, a fim de evitar cicatrizes ou outros danos à pele.

O médico fará um exame físico e irá perguntar sobre seu histórico médico. Na maioria das vezes, não serão feitos testes especiais para acne. Pode ser que o médico peça outros exames, se suspeitar que a acne é um sintoma de outro problema médico.

Comente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.